Blog Widget by LinkWithin

2016-07-26

Epitáfio - Rui Augusto

Se eu abandonar
a morada
do meu coração
e morto permanecer
aquém das montanhas...
Nas sombras do eclipse
que descer cerrado
sobre mim
enterrem-me
oh! por favor enterrem-me
bem fundo.
E como epitáfio
à luz de dias conquistadores
sobre a minha memória
rasguem a ferida da piedade
para que sangre.

Excerto do poema “Epitáfio”, in “Colar de maldições”

Rui Augusto Ribeiro da Costa nasceu a 26 de julho de 1958, em Camabatela, Cuanza Norte, Angola.