Blog Widget by LinkWithin

2012-03-11

Romance do Terceiro Oficial de Finanças - Manuel da Fonseca

Ah! as coisas incríveis que eu te contava
assim misturadas com luas e estrelas
e a voz vagarosa como o andar da noite!

As coisas incríveis que eu te contava
e me deixavam hirto de surpresa
na solidão da vila quieta!...
Que eu vinha alta noite
como quem vem de longe
e sabe os segredos dos grandes silêncios
— os meus braços no jeito de pedir
e os meus olhos pedindo
o corpo que tu mal debruçavas da varanda!...

(As coisas incríveis eu só as contava
depois de as ouvir do teu corpo, da noite
e da estrela, por cima dos teus cabelos.
Aquela estrela que parecia de propósito para enfeitar os teus cabelos
quando eu ia namorar-te...).

Mas tudo isso, que era tudo para nós,
não era nada na vida!...
Da vida é isto que a vida faz.
Ah! sim, isto que a vida faz!
— isto de tu seres a esposa séria e triste
de um terceiro oficial de finanças da Câmara Municipal!...

Manuel Lopes da Fonseca (n. em Santiago do Cacém a 15 Out 1911 ; m. em Lisboa a 11 Mar 1993)

Do mesmo autor, no Nothingandall:
Depois Vinha o Luar
Poema da Menina Tonta
Estradas
Segundo dos Poemas de Infância
Ruas da Cidade
Os olhos do poeta
Tejo Que Levas as Águas


1 comments:








Olhos de mel

disse...

É meu amigo; onde as coisas se perderam? Como foram esquecidas as luas cheias de magias, onde o casal debruçava na janela e o amor acontecia?
Lindo e nostálgico poema!
Boa semana! Beijos