Blog Widget by LinkWithin

2017-01-12

Soneto - Rubem Braga

Amendoeira em flor imagem daqui

E quando nós saímos era a Lua,
Era o vento caído e o mar sereno
Azul e cinza-azul anoitecendo
A tarde ruiva das amendoeiras.

E respiramos, livres das ardências
Do sol, que nos levara à sombra cauta
Tangidos pelo canto das cigarras
Dentro e fora de nós exasperadas.

Andamos em silêncio pela praia.
Nos corpos leves e lavados ia
O sentimento do prazer cumprido.

Se mágoa me ficou na despedida
Não fez mal que ficasse, nem doesse –
Era bem doce, perto das antigas.


Rubem Braga (nasceu em Cachoeiro do Itapemirim, ES, a 12 de janeiro de 1913; m. Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 1990)