Blog Widget by LinkWithin

2016-11-10

Soneto - Coreia Garção

A uma senhora a quem o autor chamava Mãe


Comigo minha Mãe brincando um dia
a namorar c'os olhos me ensinava,
mas Amor que em seus olhos me esperava
com mil brilhantes farpas me feria.

De quando em quando mais formosa ria
porque incapaz do ensino me julgava.
Porém tanto a lição me aproveitava
que suspirar por ela já sabia.

Em poucas horas aprendi a amá-la.
Ditoso se tal arte não soubera
Não me custara a vida não lográ-la.

Certo que aprender menos melhor era
pois não soubera agora desejá-la
nem de tão louco amor enlouquecera.

in Parnaso Lusitano ou Poesias Selectas dos Auctores Portuguezes Antigos e Modernos, Tomo III, Paris, em casa de J.P. Aillaud, M DCCC XX VII.

Pedro António Correia Garção (Lisboa, 13 de junho 1724 — Lisboa, 10 de novembro 1772