Blog Widget by LinkWithin

2016-09-28

CANÇÃO - Emílio Moura



Que consciência dividida
me faz ser dois e, em seguida,
me torna um só, mas sem vida?

Quem me trouxe a este degredo?
Quem me jogou desde cedo
em labirintos de medo?

Que sombra, estigma ou segredo
se grava, trêmulo, a medo,
em minha face plural?

Quem te conta o que não digo
e dorme sempre comigo
sono de pedra e de cal?

Emílio Guimarães Moura (14 de agosto de 1902, Dores do Indaiá, Minas Gerais, Brasil — 28 de setembro de 1971, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil)