Blog Widget by LinkWithin

2016-08-25

Tentação - António da Cunha Correia Júnior


Fico. Não vou. Não sigo a tua esteira
Pois sinto-me senhor do meu destino.
(Ah como, quando eu quero, me domino!)
E bem sei que passaste à minha beira.

Que importa que eu ficasse a tarde inteira
A pensar no teu vulto feminino?
Mas não fui, não corri, em desatino,
Atrás de quem fugia tão ligeira.

E perdi-te na curva do caminho...
E, como dantes, vê, fiquei sozinho
Seguiram-te meus olhos um momento.

E foi tudo. Fiquei. Não dei um passo...
E contudo não sei o mal que faço
Em te guardar, assim, no pensamento.

António da Cunha Correia Júnior nasceu na Matriz da Horta, Açores, a 25 de agosto de 1912, faleceu no Rio de Janeiro a 18 de março de 1992