Blog Widget by LinkWithin

2016-05-05

Soneto Impróprio - Fernando Semana


Saudade enternecida me atormenta
Do teu mavioso olhar na despedida,
Dos sons dos sapatos em passada lenta,
Mais do que da tua silhueta despida…

Porque permanecem momentos subtis
E fenecem outros mais extremos de altos
E baixos? São ermos os pensamentos vis:
Nascemos, morremos, somos intervalos!

Não me conforta a consolação do verso
Mostrar que a rítmica não desfalece
Se em mim a esperança se desvanece
De ouvir teus passos apressados de regresso

Do mote da minha vida: esta ambição
Faz o impróprio soneto confissão.