Blog Widget by LinkWithin

2005-12-07

Histórico: O Benfiquinha pôs fora da Champions o gigante Man. United

Image Hosted by ImageShack.us
Benfica 2 - 1 Manchester United

O Benfica cheio de lesionados pôs os milionários do Man. United knock-out

Dia histórico para o Benfica. Arredado dos grandes palcos europeus nos últimos anos e com grandes dificuldades para constituir um onze competitivo face à onda de lesões (Simão Sabrosa, Miccoli, Karagounis, Manuel Fernandes - quatro titulares indiscutíveis - e Quim, guarda-redes longe de 100% ) a mera possibilidade matemática de ser apurado levou ao Estádio da Luz uma mole humana de cerca de 60.000 espectadores.

O Manchester United de Van der Saar, Rio Ferdinand, Scholles, Gyggs, Neville, Cristiano Ronaldo, Wayne Rooney e Nistelroy (todos presentes) foi posto fora da Europa por uns portuguesinhos. Aos 2' a livre de Petit Anderson rematou de cabeça por cima e aos 5' Cristiano Ronaldo isola-se defendendo Quim aos pés. No minuto seguinte cruzamento da direita de Neville (à vontade) e ao 2º. poste ainda mais à vontade Scholles inaugurou o marcador. Este começo a ganhar associado à arrogancia das declarações pré-jogo do treinador Sir Alex Ferguson terá sido o princípio da derrota dos ingleses. Um cruzamento da direita tenso (com a bola a passar pelo meio das pernas do defesa que o marcava) encontrou uma finalização brilhante de cabeça a meia altura de Geovanni (aos 16'), que a jogar a ponta de lança (com Nuno Gomes atrás) foi a surpresa tactica de Koeman.

Com Cristiano Ronaldo muito nervoso a levar amarelo por um pontapé por trás sobre Beto e a fazer mais faltas noutras jogadas e a protestar com o árbitro, o Benfica equilibrava o jogo com Nelson a sobressair ofensivamente. Aos 34' depois de uma bola rechassada de cabeça pela defesa inglesa Beto arrancou um pontapé de longe que desviado por um defesa fez o 2-1 para o Benfica pondo um país em alvoroço, mas ao mesmo tempo fazendo prever quase uma hora de sofrimento. Aos 35' mais um lançamento em profundidade para a velocidade dde Geovanni à frente do defesa inglês é empurrado. Expectativa sobre saber se é penalty ou livre à entrada da área e a côr do cartão para o defesa inglês. Qual quê? O árbitro grego (os gregos sempre nos fodem) marca falta contra o Benfica!

Na 2ª. parte cedo se percebeu que o Benfica ia defender o resultado face à pressão inglesa e que ia começar o sofrimento - dentro e principalmente fora de campo-. De Espanha vinha a informação de que Villarreal ganhava e assim o empate na Luz daria ao Manchester a qualificação e remeteria o Benfica para a Taça Uefa.

Aos 57' Cristiano Ronaldo faz um cruzamento-remate com a bola a sair ao lado do 2º. poste e a sorte foi essa. Não ter sido remate nem ter sido cruzamento, porque ao 2º. poste surgia um colega isolado. Com Petit, Luisão e Alcides a grande altura em termos defensivos o treinador inglês tirou Giggs (pouco fez) meteu Saha. Aos 63' mais uma decisão incrível do árbitro Vassaras. Anderson corta uma bola dividida à entrada da área antecipando-se a um inglês e o árbitro marca livre perigoso. Reacção legítima dos jogadores encarnados e cartão amarelo para Petit (já Beto e Geovanni na 1ª. parte tinham levado amarelo por faltas banais). Também pela actuação do árbitro se temia o pior. O livre viria a ser mal marcado. Koeman também mexe na equipa aos 71 saindo Nuno Assis para entrar João Pereira. Já antes Ronaldo tinha saído para entrar o coreano Park. Numa das poucas incursões ofensivas João Pereira recém entrado consegue uma boa posição pela direita, podia ter decidido o jogo se fizesse o 3-1 mas remata precipitadamente à malha lateral.

Os ingleses começam a praticar um futebol directo mas os centrais encarnados com destaque para Luisão ia eliminando as tentativas inglesas. A entrada de Mantorras para o esgotado Geovanni (ah quanto correu neste jogo!...) não permitiu o maior controlo da bola que se esperava e os últimos minutos pareceram séculos.

Aos 89' entra Ricardo Rocha sai Leo.

Quatro minutos de desconto. Os ingleses entram em desnorte a fazerem cargas inconcebiveis sobre os defesas e guarda-redes encarnados. Sentia-se agora que o triunfo estava perto... e passados quase seis minutos dos 90 ' (Quim mais uma vez empurrado para fora do campo por um jogador inglês esteve a ser assistido) permitiu àquele Estádio a festa que em 2004 teve contra a Inglaterra e não teve contra os gregos (esses em número de 11 ).

Grande festa e o Benfica fez História mesmo que perca já na próxima eliminatória onde pode encontrar Arsenal, Juventus, Inter, Liverpool, Lyon, Milan ou Barcelona.

Da arbitragem o Benfica não recebeu favores, pelo contrário várias decisões desfavoráveis. A juntar às duas já mencionadas na crónica. Uma falta perigosa favorável não assinalada a favor e outra desfavorável inexistente marcada, cortou a lei da vantagem na primeira parte a uma jogada de Nelson e obrigou Beto a estar mais de um minuto fora de campo não o deixando incompreensivelmente reentrar em campo.

Image Hosted by ImageShack.us

Beto marcou o golo da vitória do
Benfica ainda na primeira parte

Estádio da Luz:

BENFICA - Quim; Alcides, Luisão, Anderson e Léo (Ricardo Rocha 89'); Beto e Petit; Nélson, Nuno Assis (João Pereira 71') e Geovanni (Mantorras 79') ; Nuno Gomes.

MANCHESTER UNITED - Van der Sar; Neville, Silvestre, Ferdinand e O´Shea (Richardson 84'); Cristiano Ronaldo (Park aos 66'), Scholes, Alan Smith e Giggs (Saha 59'); Rooney e Van Nistelrooy.

Golos: 0 - 1 Scholes 6'; 1-1 Geovanni 16'; 2-1 Beto aos 35'
Acção disciplinar:

17' Cartão Amarelo para Beto (Benfica).
22' Cartão amarelo para Cristiano Ronaldo
63' Cartão Amarelo para Petit (Benfica), por protestos.
92' Cartão Amarelo para Rio Ferdinand (Manchester United).
85' Cartão Amarelo para Neville (Manchester United).