Blog Widget by LinkWithin

2005-02-22

Rifoneiro português

(Ed. Nº. 5 )

"Não há mar bravo que não amanse.".

"Não há mal que o tempo não cure."

"Não há mal que cem anos dure, nem bem que os ature."

"Não há mal que não acabe nem há bem que sempre dure
."

"Não há mal que sempre dure, nem bem que se não acabe." .